quinta-feira, 22 de novembro de 2012



Em teus lábios o tormento da gana indigna-se por ser o fim.
Os segredos ocultos, na face revela-se ao ruborizar.
O pêlo eriça e desinibe os sentidos.
O beijo, ah! O beijo.


Finda a ânsia maldita.
A palavra mal dita.
E as lamurias no travesseiro.
O beijo, ah! O beijo.


Bocas desaforadas na troca de orvalho.

Inicia mais um ciclo
                                              sorrateiro no desvelo
                                                 dde te querer em mim.

O beijo, ah! Desejo.



Sandra Frietha
São Paulo, 22 de Novembro de 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário