quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Parada Desobrigatória

Virgem Maria!
Uma senhora intrépida no meio da multidão exclamava sem cessar.
Em sua  face a marca do horror estampava sua confusão, pois não cria naquilo em que seus olhos viam.
Fato é que diante ao inesperado o homem jamais estará preparado á mínima situação.
Um outro dizia: - Vejam! Olhem lá!
O corpo desdobrava-se ignorando qualquer intenção, indiferente a aglomeração.
Olhares outrora alheios paralisaram com tal visão.
 Pela fresta a bela agora desperta bailava chegando a  enfeitiçar.
Já era sabido que retornaria a vida a jovem que um dia esquecera-se da vida por se questionar da ferida.
Oras que menina mais deprimida aqueles que viviam a seu redor diziam.
Do outro lado alguém bradou:  Vocês não a conheciam? Era cheia de vida, mas queria mais da vida e deixou-se esquivar pelo olhar de um outro rapaz.
Jasmins, caminhos arfantes.
Belial, rosa picante.
A vida seguindo independente as expectativas que projetamos.
Coadjunvantes insanos  ao pó tornamos.



Sandra Frietha

São Paulo, 10 de Janeiro de 2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário