sábado, 2 de março de 2013

08 de Março - Relatos de uma não frigida

Trabalho! Trabalho!
Extremo enfado!
Um minuto do dia, difícil para tirarmos alforria
Vejo moços tirando a sorte no bem me quer
E nessa indecisão empurram tudo para nós, mulher
Que detentoras de uma impaciência aguda,  como loucas vamos a luta.

Geração adulterada, filhos mal criados conquistamos na queima da peça intima.
Ah! Simone de Beauvoir, suas ideias estavam lá
Será que era isso mesmo que você queria expressar?
Lamento pelas vidas que com o fogo se esvaíram,
Por elas, sim! dou meu minuto em silêncio em brado comigo

 Parabéns pelo seu dia?
Pare de se encher de mentiras menina!
Já não bastava essas letras de uma filosofia  degradada  liberal (funk)
 Fomos em 2012 contempladas  com o sátiro escrito
De uma autora que nos expôs  ao ridiculo
Onde em gargalhadas escancaradas nos minimizam
Não! Não quero levante
Apenas exercício neste raciocínio



Sandra Frietha
São Paulo, 02 de Fevereiro de 2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário