segunda-feira, 28 de julho de 2014

O Adeus


Vez ou outra sou exorcizada por alguma música e
 somente cessa a tormenta quando escrevo em sua companhia. 
A canção desta vez  foi "A Distância" do Roberto Carlos.
 Exorcize-se, ouça enquanto ler.





                                                            ...

Do breve sussurro que o susto em grito reverberou...
Brigar não quis.  Afinal, o prejuízo é exigido  a quem valentemente ao detentor do recibo devido, se negou as migalhas quitar.
O quarto perdera todo iluminismo.  Figuras em misturas dos corpos que antes cansados de toda uma ânsia, desfaleciam diante a saciada fome. Foi apagado como traço de um desenho esquecido. O tempo fora bom amigo, cúmplice de um enredo que ao toque de sujeitos imperfeitos se viam  por inteiro.  Despidos em uma multiplicidade de sentidos,  eram aclamados,  amantes.
Seguiu, e no bater da tranca da porta quebrada, cobiçou ficar. E,  como em um mecanismo, involuntária; cumprindo o que lhe era pedido,  voltou a velha rotina, transfigurada com a apatia de quem a viu partindo sem dizer o que  selaria o fim.



...







Nenhum comentário:

Postar um comentário