quarta-feira, 31 de outubro de 2012




Certa vez num vilarejo, um homem avançado na idade,  cansado pelos  dias corridos de seu vasto caminho, sentado num bar, analisava como foi seu dia.
Embora o cansaço, o enfado não lhe tirara a alegria.
Vestes rotas usava, mãos feito lixa de pressão. Do orifício estampado na face, os caninos era a única coisa que lhe restava.
De quem passava pelo caminho, debochava a cantarolar...

                                        "...sorria meu bem, sorria”



Sandra Frietha
São Paulo, 11 de Maio de 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário