quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Eu falo, o falo.




.
.
.
.
.
.
.
.
 . 
.
.
.
               


                   Eu falo, o falo...
                   Amor?
                   Só se for de pica,
                   é o que sinto por você!

                  “Onde você vai?”

                   Vou dar pro primeiro que passar,
                   minha buceta molhada que em
                   lágrimas só faz se lamentar
                   Ah! E por falar... Sua língua   
                   desconhecerá o gosto doce
                   que tantas vezes te fez enlouquecer
                   É grande... de fato teu pau. Sentirei falta   
                   quando me fode de quatro,
                   pois vendo sua imagem refletida
                   no espelho me comendo, sinto a mais  
                   safadas das mulheres de rua.
                   Lentamente você me rasga e a cada 
                   saída nesse vai e racha me
                   contorço e em avesso te imploro para
                   não parar ir mais e mais.
                   Você é um imbecil! Um filho da puta!
                   Dizem que existem as frigidas, ditas mal   
                   resolvidas e as de libido ativo que
                   gostam de ver na xana o caralho 
                   esfolar, se foder mesmo.
                   Mas agora não importa.
                   Vou embora!
                   Quer saber se como despedida abriria as
                   pernas pra você? Claro que sim,
                   afinal sou caridosa e gosto de dá. Faria 
                   melhor, abocanharia o falo que em
                   reticências, disperso em silêncio,
                   insiste em me encarar.
                   Vendo-o sinto a veia pulsar, rijo e eu
                   fazendo a festa, intercalando entre
                   te lamber e vc me penetrar, vejo a gota     
                   que respinga na colcha, pois a boca
                   não suportou o excesso da porra.
                   Você é bem gostoso, não nego.

                   “Nunca te vi como uma puta,
                    mas essa coisa de homem, essa 
                    cultura do desapego, cê sabe,
                    me leva a loucura, mas não sei 
                    se é hora de você me deixar.
                   
                    Mas...

                   “mas, nada! Cala a boca!  Vira! Que de quatro,
                    no rabo, vou te atormentar!”


               
        . . .






4 comentários:

  1. Comentários postados no site Recanto das Letras


    11/12/2013 09:27 - bemjuntinhoassim
    Muito bom!

    ...

    11/12/2013 01:26 - Stein haeger
    Huumm!! Fêmea digna de veneração com atitudes almejáveis numa peleja carnal longe de regras, varando barreiras e dos tabus rasgando as pregas.

    ...

    11/12/2013 01:11 - Ray Scott
    Uma poesia fascinante, que evoca o sexo real em todas as suas nuances...e que nuances!

    ...

    10/12/2013 14:58 - Helládio Holanda
    Excesso da porra foi o êxtase, fique a vontade p/ ler e comenar os meus eróticos. Abraço

    ...

    10/12/2013 11:49 - Miguel Jacó
    Bom dia Sandra, seu enredo esta perfeito com todos os ingredientes que nos levam ao ápice da excitação,parabéns pelo seu contexto erótico afetivo que me excitou pra caralho, um grande abraço, MJ.

    ...


    10/12/2013 07:33 - William F Melo
    Pegar de quatro é gostoso demais.Beijos.



    http://www.recantodasletras.com.br/prosapoeticaerotica/4605432

    ResponderExcluir

  2. 20/12/2013 14:04 - Percy Ferrer
    Uau!!!isso é de tirar o fôlego...bjs

    ResponderExcluir
  3. 09/01/2014 04:43 - SerenaLoba
    Parabéns! De quatro atormentamos o leitor. Obrigada pela visita. bjs.

    ...

    20/01/2014 12:28 - Van Doren
    Forte, intenso.

    ResponderExcluir
  4. 20/03/2014 14:29 - Yehrow
    Olá Frietha! Aprecio o estilo largado, tarado, erótico e amaldiçoado pelos pudicos. Eu leio, e gosto, confesso não sei escrever natural e lindamente assim. Dizer o tudo e não dizer, não rebuscado, mais gostoso. Te ler foi similar a dar uma f#d@, uma Fooooddda* com (F) maiúsculo. Se um dia ler meus txs eróticos e sensuais vai entender. Beijos!

    ResponderExcluir