segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Mary








Foi só a temperatura mudar de ares para que o desfecho que me era coisa certa se deteriorasse trazendo a tona mil (meus) desejos.

Perdedores nunca haverá de ser, sendo hoje eu a caça, amanhã aquela que suas pernas entrelaça. Reivindico a condição de quem coleciona histórias ao termo fugaz dos bárbaros.

Quem sabe em um qualquer outro próximo sorriso, permita-me a ousadia, algo além de um encabulado "olá!".












Nenhum comentário:

Postar um comentário