quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Enamorada





Hoje, uma parte em mim amanheceu flor.
Levantei daquele jeito. De moleton, fui buscar pão. O cabelo? Selvagem, era sua melhor caracterização, pra não dizer, desorientado.
Atravessando a rua, organizando o que seria o dia, lançada me vi a uma dimensão em conta gotas, coisas do efeito "slow motion". Aquele, onde uma sucinta fração de segundos, projetaria a eternidade em sonhos obscuros.
Ruborizei,
sob o olhar de quem diligentemente quis me cativar.
Como diz a música:
"todos querem sair da chuva"
Mas, quem contradizeria a romântica à idealista?
Vezes em casa sozinha.
Outras,
amanhecendo entre braços a comprimindo.
Burlaria quem sabe. Até faria o apelo de um minuto de silêncio, diante ao enfadado questionamento (débito ou crédito). Um mero manifesto, que não há preço ou verbo. Diante a inesquecível expressão em ação... - "eu te amo".
Fato, incontestável:

Coisa boa é, estar na companhia de quem se quer, beijar - a boca.


Texto publicado no site Puta Letra
http://putaletra.com.br/2015/08/enamorada/



Nenhum comentário:

Postar um comentário