quinta-feira, 17 de janeiro de 2013


Cócegas nos olhos

Quisera eu imersa em respeito me aproximar e te tocar.
Neutralizando mais um dia de lamentos que viria me enfadar.
Raio de luz que vem descomplicar o nó que quer me enlaçar tornando anil o que dizia o dia cinza, tão vazio.

Preciosa presença que faz elevar o peito ao te ver chegar.
Como mera expectadora sigo seus passos encantada desejando o momento nunca acabar.
Falar do amor, do doce meigo olhar incandescente que faz lembrar o vermelho o tom que em minha pele reflete em corar.
Esquivando a aspiração de uma consideração que talvez pudera dizer seu corpo só meu por um momento sigo a imaginar.

Sandra Frietha
São Paulo, 17 de Janeiro de 2013.


Nenhum comentário:

Postar um comentário