quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Tortas palavras desviadas



Doce, melado
Disseram-me meu sabor
O vi se transformar em
Azedo, amargo,  acido

Pudera!
Sombras , flagelos,
Desmedidos urros
A gota respingando outra pele
Subversão pleiteava o lado pudico
A canção sincronizava
Um minuto de tensão

Os braços em abraços
Em outros braços
A mente produzia sem intenção
De me levar a loucura

A imagem da amante e seu vilão




Nenhum comentário:

Postar um comentário