segunda-feira, 10 de março de 2014

Boa noite meu amor







Um  mundo paralelo e desconexo  de quem sabe em estado anormal, pós vigília a vida se restauraria.
Já estava quase esquecida e não sei por que,  logo hoje, essa noite, ela veio me visitar. Uma sensação que antes me era estranha, causando calafrio, agora não vacilava ou  ardia.  A lágrima, a bela intrometida. Não hesitando nesses momentos em se manifestar,  imaginava meu fim.
Por certo uma visita indesejada, como quem avista ao longe uma tia que cheia de não me toques, é um porre.
Não. Só que desta vez, não sei por que,  eu a recebi comovida, sorridente, como se tivesse visto uma amiga, que há tempos não via na cara a marca de um sorriso.
Ela se deitou a meu lado, sorri fazendo menção de aprovação. Desejei boa noite, virei  pro lado e procurei dormir. Já não me preocupava se acordaria, ou se a claridade a vista ofuscaria.










...







Nenhum comentário:

Postar um comentário