sábado, 15 de março de 2014

Peças Du Mal






Parem só por um momento e olhem bem para esse cartaz





“Ovelhas que voam se perde no céu”

Só posso dizer que a odisseia , que me era até então incerta, se desenrolou num gosto de “viva a vida e esqueça os “mas”... miseras suposições de pobres magistrados e acadêmicos, que embolorados em suas salas sobre as mesas abarrotadas de dilemas,  aguardam respostas para aquilo que por mais destrinchado, jamais será desvendado.  Os loucos, esses sim entendem o que digo.  A vida é isso, viva.  Claro, sei que ela  é incerta, mas quando menos se espera,  ela se mostra igual a uma flor, que mesmo cheia de espinhos ao desabrochar, nos faz recordar de uma certa delicadeza e dai forçosamente nos pegamos obrigados a sorrir.  Nessa um pouco mais de uma hora, amei tudo o que vi e vivi.  Foi bom mesmo.  Confesso, sou  fã dessa atmosfera em que Mario Bortolotto nos faz vagar em suas peças. A trilha sonora dá os últimos retoques, pra acabar com o cabra.  Histórias paralelas, que na maioria das vezes o ser humano troca de papel.


O texto é de Daniel Pellizzari
Adaptação, Direção, Sonoplastia e Iluminação: Mário Bortolotto 

Hoje tem  "Dentes Guardados" as 21:30
Peças Du Mal, faz um bem. Vai lá








Texto publicado no Facebook 15/03/2014









Nenhum comentário:

Postar um comentário