domingo, 14 de setembro de 2014

Signos





Germinadora de aparatos insanos, orgásticos, compulsantes em delírios.
Sujeita essa sou eu,  entregue ao acaso das desventuras complexas da vida.
Você esquece, a condição da escrita me faz, artista.
Dos mestres e escolas (...) sigo em um crivo suspenso traçando  minha história.
E dos meus sonhos, sou eu quem pago pelo gosto amargo, misturado ao ralo sabor do desconhecido (...)

A mente é livre...







Nenhum comentário:

Postar um comentário