sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Lapso de uma Puritana












Quem sabe não intentaria ele romper o lacre que oculta todo o descaramento. 
E, que de sua boca, traga lentamente o dedo latente ao tato na poção quente.











Um comentário:


  1. Comentário postado no site Recanto das Letras

    08/12/2014 07:48 - William F Melo
    Lindo e sensual.Beijos.

    ResponderExcluir