quinta-feira, 7 de maio de 2015

¨ Killing Me Softly With His Song ¨








Aborrecida no canto da sala, sorriu assim que a porta abriu. O tempo em flagelos reitera a lembrança de algo que não se ousou arquitetar.
Sentia-se inquieta. De dentro pra fora, percorreria as dependências, cheiro, furta exigência, que intuía sobre maneiras desconhecidas da casa. Nem mente, menos, sentimento, souberam exprimir o que se passou no vasto singular tempo, que retraia o olhar.

Certa da perplexidade que embaralharia quem quisesse decifrar o efeito rarefeito de uma coca diet sem gelar. De imediato, como a um inocente no hospício demente. Barata tonta, alucinada, sem sequer se embriagar, permitiu-se (...) Ai!












Um comentário:

  1. Comentário postado no site Recanto das Letras

    05/04/2015 18:42 - Eemanuel
    Lindo e sensível poema.

    ResponderExcluir