sexta-feira, 11 de janeiro de 2013




Liquidificador


Numa discussão de crianças...
- Sua burra!
- Burra é você!
- Eu não! Minha mãe me disse que sou perfeita e inteligente.
- Perfeita? Pois minha mãe disse que quem se acha perfeito já morreu e não esta sabendo!
- Mãe, olha o que essa tonta esta falando de mim?
Moral da história:
O que não usa, fagulha.


“Humanidade não perece, se justiça prevalece”


Porque ele me olha assim?
O que quer?
O som impossibilitava uma conversação, distantes, cada um no seu canto,  compreendia em fleches mutantes a descarada estampa  naquele olhar.
 “- sob sua saia, por entre suas grossas pernas, anseio esgotar o que há em mim de vida”
Ruborizou, se esquivou, mas fato é que naquela noite se encurvou a tal franqueza.


“Expurgada de rodas de vaidades... fui vista como icone de scracho e marginal” 



Sandra Frietha
São Paulo, 11 de Janeiro de 2013.


Nenhum comentário:

Postar um comentário