quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Estado Fundamental





Estado Fundamental, inerte? Não, transacional. 
Um livro curioso onde um dos personagens 
principais é denominado "Nada". Não pense que 
esse nada vem crucificado em pejorativos por 
ser masculino.
Não, Isso não ocorre.
Como mulher, viajei no universo delas (meu) 
sobre a singela e obviedade cobrança diária 
em clichês disfarçados no ideal imaginário 
dos guys [peito, bunda , boca e se vier loira... demais!].
Aja encéfalo pra suportar tanta cachola! Risos.
Gosto da narrativa, em grande parte reflexiva.
Adriana Brunstein soube expressar sutil e genialmente, 
entre linhas respeito pelo tempo e dignidade do que se é. 
Pois bem, foi assim que as palavras contidas em Estado Fundamental me tomaram. 
            



























Nenhum comentário:

Postar um comentário